Exercício

27 02 2011

Tenta ver a tua própria vida neste mesmo dia como uma jornada e uma aventura. Para onde vais? O que é que andas a procurar? Onde estás neste momento? Em que fase da viagem estás?

Se a tua vida fosse um livro, que título lhe darias hoje? Que título darias ao capítulo em que estás neste momento?

Não te esqueças que esta viagem é unicamente tua e de mais ninguém. Portanto o caminho também tem de ser o teu. Não podes percorrer o caminho que alguém já percorreu e ainda assim manteres-te fiel ao que tu és.

Estás preparado para honrar o quão único és?

Jon Kabat-Zinn, Wherever You Go, There You Are





Mistake

23 02 2011

It’s a mistake to look too far ahead. Only one link of the chain of destiny can be handled at a time.

 

 

Winston  Churchill





Memória poética

19 02 2011

Parece que existe no cérebro uma zona perfeitamente específica que poderia chamar-se memória poética e que regista aquilo que nos encantou, aquilo que nos comoveu, aquilo que dá à nossa vida a sua beleza própria.

(…)

O amor começa com uma metáfora. Ou, por outras palavras, o amor começa no preciso instante em que com uma das suas palavras uma mulher se inscreve na nossa memória poética.

Milan  Kundera  em  “A insustentável leveza do ser”





Declaração Universal dos Deveres Humanos

16 02 2011

1. Princípios fundamentais para a humanidade. Cada um/a e todos têm o dever de tratar todas as pessoas de modo humano, lutar pela dignidade e auto-estima de todos os outros, promover o bem e evitar o mal em todas as ocasiões, assumir os deveres para com cada um/a e todos, para com as famílias e comunidades, raças, nações e religiões, num espírito de solidariedade: não faças aos outros o que não queres que te façam a ti.

2. Não violência e respeito pela vida. Todos têm o dever de respeitar a vida. Todo o cidadão e toda a autoridade pública têm o dever de agir de forma pacífica e não violenta. Todas as pessoas têm o dever de proteger o ar, a água e o solo da terra para bem dos habitantes actuais e das gerações futuras.

3. Justiça e solidariedade. Todos têm o dever de comportar-se com integridade, honestidade e equidade. Dispondo dos meios necessários, todos têm o dever de fazer esforços sérios para vencer a pobreza, a subnutrição, a ignorância e a desigualdade, e prestar apoio aos necessitados, aos desfavorecidos, aos deficientes e às vítimas de discriminação. Todos os bens e riquezas devem ser usados de modo responsável, de acordo com a justiça e para o progresso da raça humana.

4. Verdade e tolerância. Todos têm o dever de falar e agir com verdade. Os códigos profissionais e outros códigos de ética devem reflectir a prioridade de padrões gerais como a verdade e a justiça. A liberdade dos media acarreta o dever especial de uma informação precisa e verdadeira. Os representantes das religiões têm o dever especial de evitar manifestações de preconceito e actos de discriminação contra as pessoas de outras crenças.

5. Respeito mútuo e companheirismo. Todos os homens e todas mulheres têm o dever de demonstrar respeito uns para com os outros e compreensão no seu relacionamento. Em todas as suas variedades culturais e religiosas, o casamento requer amor, lealdade e perdão e deve procurar garantir segurança e apoio mútuo. O planeamento familiar é um dever de todos os casais. O relacionamento entre os pais e os filhos deve reflectir o amor mútuo, o respeito, a consideração e o cuidado.





Amor 2

12 02 2011

 Sabes como andamos sempre a sentir que não pertencemos ao sítio onde estamos, que algures no mundo está o lugar perfeito, a utopia das nossas vidas?

 

 Amor é quando olhas para alguém, e em vez de uma pessoa, vês um mundo. É quando estás nos braços dela, e sentes o friozinho na barriga, a felicidade de saberes que finalmente voltaste a casa. Mesmo que nunca lá tivesses estado antes.

 

shuggieapache





Decepção

7 02 2011

Às vezes perguntamos a nós mesmos por que razão insistimos em relações que não nos satisfazem. Por que razão permitimos a certas pessoas que estabeleçam connosco relações dúbias, não transparentes, em que nos sentimos levados para campos que desconhecemos e não queremos conhecer.

Às vezes sentimo-nos enganados quando descobrimos que o outro não é quem nós pensávamos que fosse. Mas a culpa é e será sempre nossa. O outro dá-nos sempre feed-back, e só não entendemos quando não queremos entender. Nada nos é dado sem custos. Se não queremos ser decepcionados, só temos de estar atentos a todas as mensagens que nos são enviadas, e não acreditar que toda a gente age da mesma maneira.

Ninguém disse que viver era fácil…





Felicidade 5

3 02 2011

É  indiscutível que a nossa felicidade está intimamente ligada à felicidade dos outros. É indiscutível que, se a sociedade sofre, nós também sofremos. É indiscutível, ainda, que, quanto mais temos o coração e o espírito perturbados pela malevolência, mais sofremos. Podemos rejeitar tudo o mais: a religião, a ideologia e todo o conhecimento recebido. Mas não podemos escapar à necessidade do amor e da compaixão.

Esta é a minha verdadeira religião, a minha fé mais simples. Neste sentido, não é preciso templo ou igreja, mesquita ou sinagoga; não é precisa filosofia complicada, uma doutrina ou um dogma. O nosso coração, o nosso espírito é o templo. A doutrina é a compaixão. O amor pelos outros – quaisquer que sejam e o que quer que façam – e o respeito pelos seus direitos e pela sua dignidade são, em última análise, tudo quanto precisamos.

Se praticarmos isto na vida diária, desde que tenhamos compaixão pelos outros e controlemos a nossa conduta com base no sentido de responsabilidade, seremos felizes.

 

Dalai  Lama